Bateria do carro: será que está na hora de trocar?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Saber o momento certo de trocar a bateria do carro é um verdadeiro desafio. Apesar de apresentar alguns sinais característicos no sistema elétrico, nem todo mundo consegue identificar de cara que o problema está na bateria e pode passar por situações muito desagradáveis com o veículo sem funcionar.

O melhor caminho, aqui, é ficar por dentro de todos os sinais que a bateria vai apresentando quando a sua vida útil já está no fim. Assim, além de poder se preparar adequadamente, também se torna mais fácil montar um planejamento de revisão do sistema elétrico que faz toda a diferença quando o foco é a segurança ao volante.

Quer saber mais? Vamos mostrar como identificar quando trocar a bateria do carro. Continue a leitura!

Dificuldade de ligar o veículo

Um dos primeiros sinais de que é preciso trocar a bateria envolve a dificuldade de ligar o veículo. Então, se você pressiona o giro da chave e sente o motor engasgar, as chances de a causa ser a bateria fraca são extremamente altas.

O pior cenário, no entanto, é quando a situação do componente se agrava e o carro não liga independentemente do que é feito. Para evitar ficar na mão nesse tipo de situação, o segredo é ter sempre um carregador de bateria portátil ou um cabo de chupeta guardado no veículo.

Falhas em sistemas elétricos

As falhas nos sistemas elétricos também costumam ser sinais muito comuns. Afinal de contas, todo o sistema elétrico do carro é abastecido pela bateria. Ou seja, assim que surgirem os primeiros problemas, você pode desconfiar de que o momento da troca chegou e não será possível adiá-lo por muito tempo.

Por exemplo, normalmente, o motorista nota o enfraquecimento dos faróis ou das luzes do painel. Ao notar esse tipo de falha, é necessário fazer uma avaliação na bateria para evitar ficar a pé ou precisar chamar ajuda.

Vazamento ou corrosão da bateria

A bateria, quando está no período de troca, já perdeu a sua capacidade de armazenar energia. Por esse motivo, os danos causados são irreversíveis, já que ela acaba descarregando por completo e não é possível fazer a troca de maneira preventiva.

A sobrecarga acontece quando o excesso de corrente elétrica que é enviada para o veículo causa, até mesmo, um odor bastante característico. Outro problema que é resultado da sobrecarga é o vazamento do líquido da bateria, que indica que realmente não há mais solução.

Queima do fusível

Acontece por conta da perda de corrente do sistema elétrico. Essa peça interrompe o circuito quando a intensidade elétrica é menor ou mais alta do que o sistema consegue suportar. A melhor forma de avaliar se o seu carro está com um fusível queimado é observando se algum acessório elétrico deixou de funcionar. Entre os principais, estão os vidros, as luzes e o som.

Mau contato nos cabos da bateria

Esse tipo de situação pode acontecer por falta de aperto adequado ou por oxidação dos cabos. Normalmente, o problema costuma ser visível ao motorista e pode ser detectado de maneira simples. Faça uma checagem e verifique se os cabos estão cobertos por sujeira, especialmente um pó com uma tonalidade esverdeada. A mudança de cor é o resultado do processo de oxidação e torna-se bastante aparente.

Pronto! Agora, você já sabe quando trocar a bateria do carro. O mais importante, para evitar problemas, é tomar uma série de cuidados especiais na hora de realizar o procedimento. Além de escolher o momento certo — quando a bateria dá sinais de que está “nas últimas” —, também se torna indispensável procurar um profissional experiente no assunto como forma de garantir a segurança do veículo em longo prazo.

Gostou das informações do artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais para que os seus amigos também fiquem por dentro do assunto.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp